segunda-feira, junho 25, 2007



A bem dizer, gosto...



De ver, espalhados por todo o concelho de Oeiras, sobreiros e oliveiras centenários trazidos do Alqueva.

Carregadas de uma profunda simbologia em várias religiões e culturas, e de um peso específico muito próprio, tanto na Europa meridional, como no Norte de África, as oliveiras são, como os sobreiros, árvores incrivelmente resistentes, capazes de viver centenas de anos.
Retirei esta imagem de algumas dessas árvores, replantadas no Parque dos Poetas, do blogue Tudo menos política.

1 comentário:

arte por um canudo 2 disse...

Quem fala na natureza fala em qualidade de vida.Sobreiros tem o seu encanto..devem ser apreciados e não abatidos. Abraço.