terça-feira, setembro 18, 2007




A aprendizagem pela descoberta

Tal como a aprendizagem colaborativa, a aprendizagem pela descoberta visa a construção partilhada de conhecimento (De Jong & Van Joolingen, 1998), através da pesquisa de dados e de informação; cada uma destas formas de aprendizagem tem sido largamente investigada, mas ambas podem ser utilizadas em simultâneo, como sugerem e demonstram Saab, Joolingen e Hout-Wolters (2005).
Quando aprendem pela descoberta, os estudantes recolhem informação, experimentam, manipulam variáveis, recorrem, enfim, a processos cognitivos (Swaak, 1998), em tudo semelhantes ao processo científico (Klahr e Dunbar, 1988; Van Joolingen e De Jong,1997), simultaneamente reguladores (com tarefas de planeamento e de execução) e transformadores (actividades como identificar variáveis, recolher dados, identificar relações, gerar hipóteses, testá-las, chegar a conclusões).
Os exercícios de simulação com computadores são um exemplo de aprendizagem pela descoberta, que pode ser articulada com a aprendizagem colaborativa, uma vez que a colaboração tem uma influência positiva nos processos de aprendizagem pela descoberta e vice-versa (Saab, Joolingen e Hout-Wolters, 2005; Salomon & Globerson,1989): através da colaboração, promove-se a elaboração e a clarificação (Dekker & Elshout-Mohr, 1998), ou pelas questões que vão sendo colocadas (Chi, Bassok, Lewis, Reimann, e Glaser, 1989), ou pelos esclarecimentos que vão sendo prestados (Wegerif, 1998; Weiss e Dillenbourg, 1999). São estratégias de aprendizagem que envolvem processos cognitivos e metacognitivos, em que os estudantes se vão mutuamente corrigindo (van Boxtel, 2000; van der Linden et al., 2000), de forma complexa e elaborada (Marshall, 1995; Roelofs, van der Linden, & Erkens, 1999), verificam a informação que vai sendo veiculada, trocam explicações, interpretam dados, rejeitam hipóteses, aventam alternativas, e tiram conclusões (van Boxtel, Van der Linden, & Kanselaar, 2000; Veerman, 2000).
O grupo de investigação constituído por Saab, Joolingen e Hout-Wolters (2005) verificou que as actividades comunicativas e de descoberta ocorrem em simultâneo e encontrou relações significativas entre as actividades de comunicação e de descoberta quando as associaram, tendo verificado que as actividades comunicativas estão mais associadas à formulação das hipóteses, à execução das experiências, enquanto que a argumentação está associada à formulação das conclusões.
A associação entre a aprendizagem colaborativa e a aprendizagem pela descoberta constitui uma vantagem para o estudo de áreas do conhecimento em que é difícil proceder a experiências autênticas e, em alternativa, se recorre à simulação.

2 comentários:

IC disse...

Aprendizagem colaborativa, aprendizagem pela descoberta... temas que me apaixonam (ou apaixonaram). Mas não ando em condições para comentar. Vim só dizer que fico contente quando abordas esses temas.
;)

Paideia disse...

Obrigada, Isabel.
Tudo de bom para ti.